Os esportes como conteúdo das Práticas Aquáticas: conhecendo a NATAÇÃO.

Por Cristine, Fernanda, Iara

Olá, hoje vamos conversar sobre o esporte aquático mais famoso, a Natação. Antes de começar quero que você me responda duas perguntas: O que é “nadar”? Você sabe nadar?

A resposta do dicionário: nadar é mover-se na água ou sustentar-se sobre ela usando recursos do próprio do corpo.

No curso de Práticas Aquáticas do Sesc Campinas acreditamos que o Nadar extrapola o conceito convencional e procura desenvolver todas as competências e habilidades corporais na água, favorecendo que o praticante descubra seu próprio corpo, suas limitações e todas as possibilidades no ambiente aquático.

E então, você sabe nadar? Você sabia que aquele seu jeito de brincar na água, por exemplo imitar cachorrinho, pegar jacaré no mar, deslocar-se por baixo d’água feito um submarino, fazer cambalhotas, flutuar, plantar bananeira e muitos outros movimentos, é considerado nadar? Sendo assim você já sabe nadar! Que legal!!! Estar na água é para ser também lúdico, com motivação recreativa para o lazer.

Porém quando pensamos no esporte Natação falamos de uma modalidade esportiva competitiva. Ela se desenvolve através do aprimoramento do nadador nos seguintes quesitos:

  • Domínio e eficiência técnica dos nados, que são eles: crawl, peito, costas e borboleta;
  • Coordenação motora;
  • Aperfeiçoamento do gesto motor;
  • Condicionamento cardiorrespiratório que aumenta a capacidade pulmonar, e faz com que a cada dia possamos nos cansar menos ao nadar;
  • Treinamentos específicos para aumentar força, velocidade e potência;
  • Participação de competições.

Os atletas participam de competições nacionais (campeonatos regionais, estaduais e brasileiro) e internacionais (campeonatos mundiais e jogos olímpicos). Dentre esses campeonatos há os de piscina curta, 25 m, e os de piscina longa, 50 m (conhecida popularmente como piscina olímpica, são exigidas em diversas competições). As dimensões exigidas para a piscina longa são 50 m de comprimento e 25 m de largura (divididos em 10 raias, sendo 8 para os atletas nadarem e as duas das pontas ficam vazias), sendo a profundidade mínima de 2 m. A temperatura da água fica entre 25°C e 28°C.

Na publicação “A natação no curso de Práticas Aquáticas do Sesc para crianças de 6 a 12 anos” você conheceu um pouco da história da natação, agora vamos contar um pouco da natação nos Jogos Olímpicos.

Maria Lenk

O Brasil estreou nos Jogos Olímpicos de Antuérpia (Bélgica) em 1920, com 21 atletas na delegação, sendo 4 da natação masculina. A primeira mulher brasileira a disputar uma Olimpíada foi Maria Lenk em Los Angeles (1932), período em que inseriram a categoria feminina em torneios mundiais.

Michael Phelps

Nos Jogos Olímpicos a natação é o esporte que mais distribui medalhas, em 2016 no Rio de Janeiro foram 96. O atleta recordista de títulos é o americano Michael Phelps que conquistou 28 medalhas, sendo 23 de ouros em 4 Olimpíadas (2004 a 2016).

Ao longo das Olimpíadas o Brasil conquistou 14 medalhas na natação, vamos relembrar os atletas medalhistas brasileiros:

César Cielo
Poliana Okimoto

Gustavo Borges, Fernando Scherer, Edvaldo Valério e Carlos Jayme.

Para vocês conhecerem particularidades sobre os quatro nados de competição, dividiremos em duas postagens, ambas sobre o tema “natação”, de forma que hoje apresentaremos os nados peito e crawl.

Então, fiquem atentos e vamos lá!

PEITO

Em meio ao século XVI, foram publicados os primeiros trabalhos escritos sobre natação. Na época o nado peito era vangloriado e denominado como “nado clássico”, também defendido como sendo o melhor, mesmo entre os nadadores profissionais. Era com este nado que os soldados atravessavam os rios carregando armaduras e roupas. O francês M. Thevenal desenvolveu os movimentos similares ao executado atualmente, no ano de 1696.

Peito é um dos quatro nados competitivos e é também um valioso método de sobrevivência. No peito o nadador deve fazer o ciclo de uma braçada com respiração e uma pernada, nesta ordem, as ações de braço e perna são simétricas e no plano horizontal, descaracterizando o nado qualquer movimento alternado (vertical). É o único nado competitivo em que o retorno do braço (recuperação) é conduzido debaixo da água e em que uma grande quantia de resistência frontal é experimentada.

A batida de perna do nado peito é provavelmente a mais complexa de todas, para os nadadores dominarem é possível levar algum tempo em sua aprendizagem. A ação da perna às vezes é descrita como “chicotada” ou pernada de rã. Além da respiração, a sincronia correta dos braços e pernas é muito importante. A prova inicia com mergulho em cima do bloco de partida com o objetivo de impulsionar o corpo a frente. A batida das mãos na parede da piscina nas viradas e chegadas são obrigatoriamente simultâneas.

As provas oficiais disputas deste estilo são: 100 m e 200 m.

Thiago Pereira

CRAWL

Em 1869, o nado crawl ou “estilo livre”, como originalmente era chamado, nasceu a partir de rotações do corpo e o deslocamento dos braços apresentado pelo nadador inglês John Trudgen. Ficou famoso por ser mais econômico e veloz que o nado peito. Pouco tempo depois, um inglês excelente em nado peito chamado Frederick Cavill, fazendo uma viagem com sua família na Austrália, observou vários nativos da região do Ceilão nadando de uma forma parecida com Trudgen, com braçadas alternadas. Cavill então decidiu estudar o nado a fundo e criou o “crawl australiano”, que era muito prático na água salgada. Em seguida, os americanos passaram a utilizar água doce em suas piscinas, deste modo pegaram o já famoso crawl australiano e fizeram algumas modificações e adaptação à água doce, surgindo, assim, o “crawl americano”, que deu muitas glórias aos Estados Unidos.

Crawl é mais um dos quatro nados competitivos, é o mais utilizado para treinar e o mais rápido para se deslocar dentro da água. Consiste em braços e pernas alternados em decúbito ventral (deitado de barriga para baixo) e respiração lateral que é feita com giro lateral do pescoço e uma pequena rotação do tronco, para auxiliar a respiração.

As batidas de pernas alternadas, muito parecidas com o caminhar, têm a função de sustentar o corpo em alinhamento horizontal (posição deitado na água) e realizar a propulsão do nado promovendo o deslocamento e o equilíbrio de seus movimentos. A prova inicia com o mergulho de cima do bloco de partida que tem o objetivo de impulsionar o corpo a frente. Tanto na virada, quanto na chegada qualquer parte do corpo pode tocar a parede.

As provas oficiais disputadas deste nado são: 50 m, 100 m, 200 m, 400 m, 800 m (somente feminino), 1500 m (somente masculino), revezamento 4×100 m e 4×200 m.

Gustavo Borges

E agora preparamos um vídeo para você conhecer um pouco mais sobre as técnicas e curiosidades dos nados peito e crawl. Não deixe de assistir!

E aí, gostou de saber mais sobre a natação? Agora compartilhe com a gente nos comentários suas experiências e vivências com o nadar. E não esqueça de nos visitar e acompanhar nossas postagens com muitas novidades e informações, ah, já estávamos esquecendo, logo postaremos sobre os nados Costas e Borboleta, não perca!


Fonte das Imagens

Imagem 1: https://www.olimpiadatododia.com.br/brasil/248306-maria-lenk-primeira-mulher-brasileira-a-participar-de-uma-olimpiada/

Imagem 2: https://swimchannel.net/michael-phelps/

Logotipos das edições dos Jogos Olímpicos: https://www.olympic.org/

Imagem 3: https://agenciatutti.com.br/swimchannel/swim-channel-recorda-todas-as-medalhas-olimpicas-da-natacao-brasileira/

Imagem 4: https://veja.abril.com.br/esporte/poliana-okimoto-fica-em-4-na-maratona-aquatica-no-rio-holandesa-leva-ouro/

Imagem 5: https://bestswimming.swimchannel.net/2018/09/16/galeria-18-anos-depois-do-bronze-4×100-livre-em-sydney-2000/

Imagem 6: http://www.espn.com.br/noticia/593169_thiago-pereira-e-henrique-rodrigues-empatam-nos-200m-medley-e-vao-para-a-olimpiada

Imagem 7: https://gustavoborges.com.br/historia/

Publicado por Equipe Atividades Aquáticas

Coletivo de Educadores dedicados à aprendizagem das habilidades e competências aquáticas. Mergulhe conosco.

4 comentários em “Os esportes como conteúdo das Práticas Aquáticas: conhecendo a NATAÇÃO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: