O Pilates e sua aplicabilidade nas práticas aquáticas (Vídeo)

Por Tatiana Coletto dos Anjos

Olá, eu sou Tatiana professora de Práticas Aquáticas e assim como você, uma apaixonada pela água. Em minha cidade natal, Catanduva, interior de São Paulo, minha geração foi muito influenciada pela natação e eu fui levada por essa onda e estou nela até hoje…

Outra curiosidade a meu respeito é que, com o passar dos anos, desenvolvi alguns problemas articulares na região da coluna, e a natação e o Pilates foram meus grandes aliados em meu processo de reabilitação. Eu tinha a natação como estímulo aeróbio de baixo impacto, pois precisava manter o peso para não causar mais sobrecarga à coluna, e o Pilates, como uma alternativa de fortalecimento e reeducação postural com o intuito de minimizar as assimetrias e preservar a mobilidade dessa região.

Foram anos nessa dinâmica e a paixão por essas duas modalidades tiraram delas o status de tratamento e as transformaram em hobbys. Mas, enfim, onde quero chegar com toda essa prosa?

Quero com esse relato compartilhar com vocês que ao longo desse processo tive uma evidente melhora em meu desempenho nas piscinas. E você deve estar se perguntando o porque, não é mesmo? Bom, aí é hora de falarmos um pouquinho sobre o Pilates.

O método Pilates, desenvolvido na década de 1920, é baseado no conceito chamado contrologia que se pauta na integração e controle consciente do movimento. Ele requer que o praticante esteja sempre pronto, focado e atento em sua prática em “corpo, mente e espírito”.

Seis princípios fundamentam o Pilates. São eles: concentração, controle, centralização, centro ou centramento, fluidez, precisão e a característica respiração.

A respiração presente no método Pilates tem por finalidade ativar o centro de força, dando condições para que os estímulos propostos sejam realizados com segurança. A expiração deve acompanhar os momentos de maior expressão da força e, em alguns casos, ela coincide com a diretriz: “inspire quando não houver movimento e expire, quando estiver se movimentando”.

O Pilates promove o fortalecimento global e melhora o tônus muscular, corrige assimetrias e melhora a postura, promove estímulos de alongamento, aumenta a flexibilidade e a mobilidade articular. Além disso, auxilia na reeducação respiratória, na consciência corporal e na estabilidade da região central do corpo.

Quando analisamos que a progressão na água depende de um corpo bem posicionado e que consiga realizar os movimentos com grandes alavancas, gerando um grande torque e preservando uma trajetória o mais linear possível, reconhecemos que um corpo forte, estável, simétrico e que tenha uma boa amplitude de movimento assim como uma boa funcionalidade de suas articulações, conseguirá desempenhar melhor essa tarefa, não é mesmo?

Pois aqui está a chave para a correlação da melhora do desempenho nas piscinas pelos praticantes de Pilates. As capacidades e habilidades que desenvolvemos nas aulas de Pilates são as mesmas que nos permitem realizar bem as tarefas na água.

E foi então pensando nisso, e, considerando que você está em casa e distante das piscinas, que preparei esse vídeo com muito carinho para você! Nele trago alguns exercícios de Pilates para praticantes de atividades na água.

Para se preparar para essa série, use uma técnica de ativação do CORE/centro de força. Na posição deitada, expire e contraia o abdômen fechando as costelas numa atitude parecida com o tossir; inclua a contração da musculatura das costas e glúteos. Faça isso de 5 a 8 vezes, se dê sequência, com seus alongamentos e solturas articulares de preferência (Alongamento e Alinhamento Postural); só então siga para o vídeo.

Experimente a sequência desafiadora dos seus  7 exercícios do vídeo: One Leg Stretch; Double Leg Stretch; The Hundred; Swan; Swimmig; Single Leg Kick Alternado; Double Leg Kick. Eles podem ser feitos de 6 a 8 vezes com pausa de 30 a 45 segundos entre cada um. Se você julgar necessário, você pode repeti-los mais uma ou duas vezes.

Não se esqueça de que qualquer desconforto é um alerta e, quando ele aparece o melhor é suspender os exercícios. Neste caso, aguarde nosso retorno presencial e leve essa sugestão de exercícios para que um profissional da área te auxilie na execução e em como incluí-los em seus treinos.

Caso tenha se adaptado a esses estímulos, complemente sua rotina de treinos com eles. Faça em dias alternados e, aproveite os demais dias para realizar estímulos aeróbios, temos alternativas incríveis em nossa playlist no Youtube (Exercícios Aeróbios e Step). Corra para lá e lembre-se de voltar para dizer como foi essa experiência!

Um grande abraço e até breve!

5 comentários em “O Pilates e sua aplicabilidade nas práticas aquáticas (Vídeo)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: